Intercâmbio na Austrália: tudo o que você precisa saber

Já pensou em estudar fora do país? Então a Austrália pode ser o destino certo para você.

Intercâmbio na Austrália: tudo o que você precisa saber

O processo de aprendizado de outra língua costuma ser mais imersivo e mais fácil quando você tem contato com o outro idioma diariamente. A melhor forma de fazer isso é por meio de um intercâmbio. Mas o inglês, por exemplo, não é praticado exclusivamente nos Estados Unidos e na Inglaterra. Existem outros países que podem te oferecer um pacote de intercâmbio bacana, ser mais receptivos e até mais barato (em alguns casos).

E o caso, por exemplo, da Austrália. Por isso, separamos algumas dicas para te ajudar a organizar um intercâmbio para o país, destacando seus aspectos e diferenciais. Confira:

Por onde começar?

A Austrália é um país incrível! Tem praias lindas, uma cultura alegre e divertida, além de paisagens e atrações de tirar o fôlego. No conceito intercâmbio, ela vem sendo cada vez mais procurada por estudantes, principalmente pela hospitalidade. Além disso, a Austrália tem uma qualidade de vida alta e permite que seus estudantes trabalhem durante a estadia no país. Isso é importante, principalmente porque o custo de vida de lá também é alto.

Antes de tudo você precisa pesquisar bastante e verificar se o curso que você quer fazer é oferecido por alguma instituição de ensino na Austrália, isso porque nem todo intercâmbio é de idiomas, não é mesmo?! Existem diversos cursos e instituições de ensino conceituadas na Austrália e vale muito pesquisar os detalhes de cada um deles. São mais de 1.200 instituições e mais de 22 mil tipos de curso.

Depois de escolher o curso e a instituição é a hora de verificar os documentos necessários para estudar na Austrália. Atualmente, brasileiros precisam solicitar um visto de estudante na página do site do departamento de imigração. Isso vale para estudantes que ficarão mais de 14 semanas no país. Cursos com duração inferior a 12 semanas podem ser feitos com o visto de turismo. A lista de documentos que precisam ser enviados você confere abaixo:

- Formulário 956A devidamente preenchido e assinado;
- Cópia da carteira de trabalho;
- Cópia do passaporte;
- Certificado de cursos gerais, como cursos técnicos, graduação, pós-graduação, entre outros;
- Histórico escolar ou declaração;
- Carta de custeio, apontando quem cobrirá seus gastos no país durante o intercâmbio;
- Carta de intenção;
- O COE com a confirmação da matrícula no curso desejado;
- Extratos bancários e detalhes do imposto de renda;
- Se possível, os três últimos holerites ou comprovantes de pagamento.

Após esse processo, a Embaixada do Consulado da Austrália deve solicitar que seja realizado um exame médico com um dos profissionais credenciados pelo órgão. A lista completa você confere aqui: https://www.homeaffairs.gov.au/about/contact/offices-locations/brazil

O Departamento de Imigração da Austrália costuma levar cerca de 40 dias para processar uma solicitação de visto, então não deixe tudo para a última hora. O ideal é começar a planejar tudo com no mínimo 6 meses de antecedência e solicitar o visto com 2 meses de antecedência.

Muita gente acaba desistindo de estudar na Austrália porque o país apresenta um processo muito burocrático de visto. Eles fazem questão de ter a certeza de que o estudante tem condições financeiras saudáveis de ficar no país pelo tempo pretendido.

Trabalhando e estudando na Austrália

Como já mencionamos, a Austrália permite que os estudantes de intercâmbio também trabalhem no país durante a duração do curso. Isso ajuda nos custos da viagem e facilita a organização financeira do estudante, além de garantir mais conforto durante a estadia no país.

É permitido que os alunos intercambistas trabalhem até 20 horas por semana, sendo que em período de férias essas horas tornam-se livres. Muitas instituições de ensino já indicam, inclusive, empresas e estabelecimentos que contratam os alunos como trabalhadores temporários.

Onde ficar durante o intercâmbio?

Imagem: Royal Caribbean

Esse ponto é extremamente importante na hora de planejar o seu intercâmbio na Austrália. A cidade de Melbourne, por exemplo, tem algumas das melhores instituições de ensino do mundo, assim como a capital da Austrália, Sydney. Mas elas acabam sendo as mais escolhidas pelos estudantes não só por isso. A qualidade de vida conta muito, assim como o acesso e transporte facilitado.

Muitas pessoas preferem fazer todo o processo por meio de uma agência especializada em intercâmbio. Existem diversas opções boas no mercado, mas vale pesquisar direitinho e conferir indicações. Até com relação a documentação e a escolha de um curso ou instituição de ensino que tenha mais a ver com você eles podem ajudar.

Como essas cidades são as mais escolhidas pelos estudantes, elas também são as que vão apresentar mais referências multiculturais, com a possibilidade de conhecer estudantes do mundo todo, com mentalidades diferentes e com ideias inovadoras. Muito mais do que apenas um intercâmbio, não é mesmo?!

Em questão de segurança também não há muito com o que se preocupar. A Austrália em si é um país bastante seguro, então você pode ir trabalhar, estudar, sair com amigos e conhecer espaços culturais nas cidades com muita tranquilidade. Isso também precisa entrar na sua avaliação na hora de escolher um país para fazer seu intercâmbio. Segurança é um item extremamente importante.

Além de Melbourne e Sydney, as cidades de Gold Coast e Brisbane também são muito procuradas por estudantes de intercambio. Gold Coast é uma região costeira, repleta de belas praias e de clima muito agradável, a preferida dos brasileiros. Brisbane também tem um clima ótimo e é um dos principais centros culturais da Austrália, por isso está na lista das queridinhas pelos estudantes. Por ser também um polo econômico do país, é mais fácil conseguir um emprego em Brisbane durante o intercâmbio.

Para se locomover, a maioria dos estudantes de intercâmbio acabam utilizando o transporte público, que funciona muito bem na Austrália. Os trens e "trams", como são chamados os bondes que circulam pela cidade, são o meio de transporte principal de Melbourne, Sydney e Perth. Em Sydney, por exemplo, são mais de 150 estações de trem em funcionamento.

Quanto custa um intercâmbio para a Austrália?

Boa parte dos cursos de intercâmbio tem uma duração menor, principalmente se o intuito é aprender ou aperfeiçoar outro idioma. As graduações e especializações costumam levar mais tempo, mas em sua maioria, os estudantes de intercâmbio costumam ficar cerca de 6 meses fora. E quanto custa tudo isso? É o que vamos ver agora:

De uma forma geral, mesmo tabelando 6 meses de intercâmbio, o custo da viagem vai depender muito da escolha do curso e da instituição de ensino.

Existem tanto opções de escolas quanto de cursos mais baratos, mas você precisa saber que até isso influencia na aprovação do seu visto. A moeda australiana tem uma cotação menor que o dólar americano e que as moedas europeias, e isso vai facilitar na hora de planejar seus gastos com a viagem.

Os cursos de intercâmbio são cobrados por semana e cada semana de aula custa de $200 a $400 dólares australianos, ou seja, cerca R$ 1000. Nesta simulação, um curso de 6 meses sairia entre $6 mil e $12 mil dólares australianos, cerca de R$ 25 mil.

A maioria das escolas na Austrália cobram taxa de matrícula e material, assim como acontece aqui. Isso sai por cerca de $500 dólares australianos, ou R$ 1.400.

O visto e autorização médica exigidos, que mencionamos mais acima, podem sair bem carinhos também. Como os documentos enviados precisam ser traduzidos talvez você precise pagar por isso. O pacote completo, já com o exame médico sai por cerca de $1350 dólares australianos, ou R$ 3780.

Para ficar estudando na Austrália, o Departamento de Imigração exige que seja contratado um seguro saúde, chamado OSHC. Ele é pago por cada mês que o estudante ficará no país e tem uma cobertura ótima no país. Sai cerca de $50 dólares australianos, ou R$ 140, então vale muito a pena.

A hospedagem é um caso a parte. Algumas agências incluem no valor total (com curso, matrícula e material) uma hospedagem em casas que são espécies de repúblicas ou até em lares friendly. As casas estudantis servem, na maioria das vezes, como um ponto de encontro para os estudantes se conhecerem e decidirem alugar outros locais para ficarem juntos, principalmente se vão ficar por mais tempo. Essas hospedagem também são pagas semanalmente - se não forem acertadas com uma agência antes - e custam entre $250 e $400, cerca de R$ 1000.

Já o custo de vida durante o intercambio, que inclui passeios e alimentação, por exemplo, vai variar muito de acordo com as escolhas de cada um. Mas de uma forma geral, sai de $400 a $500 por semana, cerca de R$ 1260, principalmente nos primeiros meses que requer gastos maiores pelo tempo de adaptação do estudante.

E, por fim, tudo requer muito planejamento e pesquisa para que o seu intercâmbio se torne uma experiência única de aprendizado e vivência em outro país. Com o planejamento correto, mesmo os custos mais altos podem ser supridos e você não terá grandes problemas com a documentação exigida. Lembre-se de que o intercâmbio e muito mais do que a oportunidade de aprender outro idioma ou se especializar fora do seu país de origem. É a chance de conhecer novas culturas e pessoas do mundo todo.

What's Your Reaction?

like
0
dislike
0
love
0
funny
0
angry
0
sad
0
wow
0