Madri: conheça a tríade de museus da capital espanhola

Madri é a capital que abriga algumas das obras de arte mais importantes do mundo. E o melhor, em três museus que ficam bem pertinho um do outro. Conheça a história de cada um e planeje sua viagem à Espanha.

Madri: conheça a tríade de museus da capital espanhola

Madri é uma cidade agitada, moderna e ao mesmo tempo antiga. Localizada no centro da Espanha, é capital e residência da monarquia. É também um núcleo cultural e intelectual. Isso a torna destino certo para quem aprecia arte.

A parte das paradas obrigatórias em ícones arquitetônicos e pontos históricos espalhados pela cidade, Madri abriga três dos mais interessantes museus do mundo: o Museu do Prado, o Thyssen-Bornemisza e o Reina Sofía. Cada um deles requer pelo menos uma tarde inteira de visita. Então se você quer aproveitar tudo o que essa cidade tem para oferecer e ainda conhecer esses museus, é necessário reservar pelo menos 5 dias de hospedagem.

Vale dizer que os três museus ficam bem próximos, há poucos quarteirões de distância do famoso Parque do Retiro. A região é bem central e próxima de alguns dos pontos mais interessantes da cidade, então vale buscar hotéis pelas cercanias.

Museu Nacional do Prado

Museu do Prado (Imagem: Museu do Prado/Divulgação)

O Museu Nacional do Prado foi inaugurado em 1819, há exatos 200 anos. O seu majestoso prédio foi desenhado pelo arquiteto Juan de Villanueva a pedido do rei Carlos III. Ele ficou pronto em 1785 e inicialmente funcionaria como Gabinete de Ciências Naturais. Só alguns anos mais tarde o neto de Carlos III, Fernando VII, e sua esposa María Isabel de Braganza, o transformaram em museu.

No início foram expostas 311 pinturas, todas parte de coleções da própria realeza. Mas foi no século XVI sob comando de Carlos V que o catálogo expandiu e passou a ganhar maior importância. Foi nesse período que chegaram as obras mais importantes, como O Jardim das Delícias Terrenas de, El Bosco, O cavaleiro com a mão no peito, de El Greco, A Sagrada Família de Rafael e As meninas de Velázquez.

Horário

  • De segunda a sábado das 10h às 20h
  • Domingos e feriados das 10h às 19h

Horário gratuito

  • De segunda a sábado das 18h às 20h
  • Domingos e feriados das 17h às 19h

Ingressos

  • Entrada geral: 15€
  • Entrada geral + livro Guia do Prado: 24€
  • Entrada geral duas visitas em um ano: 22€
  • Meia entrada: 7.50€

Reina Sofía

Museu Reina Sofía (Imagem: Museu Reina Sofía/Divulgação)

O museu Reina Sofía é o museu de arte moderna e contemporânea de Madri. O prédio central foi construído para ser um dia hospital durante o reinado de Felipe II e sofreu inúmeras modificações ao longo dos anos. Finalmente abriu suas portas como museu em 1990. Dois anos depois, o Rei D. Juan Carlos e a rainha Da. Sofía inauguraram a coleção permanente.

É uma das coleções de arte moderna mais importantes da Europa e abriga obras de Pablo Picasso, Salvador Dali e Juan Miró. O grande destaque é, sem dúvidas, a Guernica, o quadro icônico pintado por Picasso para retratar a Guerra Civil Espanhola. O quadro ocupa uma parede inteira dentro de uma sala sempre cheia de visitantes. É impactante e imperdível.

Horário

  • Segundas: 10h as 21h
  • Terça: fechado
  • Quarta a sábado: 10h as 21h
  • Domingo: 10h as 19h

Horário gratuito

  • Segundas, quartas e sábados das 19h às 21h
  • Domingos das 13h30 às 19h

Ingresso

  • Entrada geral na bilheteria: 10€
  • Entrada geral compra antecipada online: 8€
  • Entrada com audioguia: 14.50€
  • Entrada geral duas visitas: 15€
  • Gratuito para menores de 18 anos, maiores de 65 anos, estudantes entre 18 e 25 anos e deficientes

Museu Nacional Thyssen-Bornemisza

Museu Thyssen-Bornemisza (Imagem: Thyssen-Bornemisza/Divulgação)

Originalmente uma coleção privada, foi comprada pelo governo espanhol em 1993. A coleção começou com a família Thyssen em 1910, quando August Thyssen encomendou algumas esculturas de ninguém menos que Auguste Rodin, que atualmente estão logo na entrada do museu.

O terceiro filho de August, Heinrich Thyssen-Bornemisza, tinha o mesmo interesse que o pai e passou também a colecionar arte. Quando morreu, em 1947, Heinrich havia reunido 525 obras de grandes artistas. Seu filho mais, Hans Heinrich Thyssen-Bornemisza novo deu continuidade à coleção, adicionando ainda mais obras importantes.

Hans também teve um importante papel em trazer a coleção ao público geral. Segundo ele, seu legado como colecionador era compartilhar e tornar a arte acessível ao maior número de pessoas possível. Passou, então, a organizar exposições ao redor do mundo. Em 1988 decidiu que era hora de armazenar as obras em um lugar grande o suficiente. Recebeu propostas de diferentes governos e instituições, mas foi o governo espanhol que ofereceu o melhor espaço e as melhores condições.

 Graças ao interesse da família Thyssen-Bornemisza pela arte, hoje o museu abriga permanentemente obras de artistas como Rafael, Rembrandt, Caravaggio, Manet, Renoir, Cézanne, Van Gogh e Picasso. Quase três décadas depois, a coleção de Hans segue acessível em um dos museus mais incríveis do mundo. Visita imperdível.

Horário

  • Terça a domingo 10h as 19h

Horário gratuito

  • Segunda das 12h às 16h

Ingresso

  • Entrada geral: 13€
  • Meia Entrada: 9€
  • Gratuito para menores de 18 e deficientes

Explore no site viagens.com.br opções de pacotes de viagens, passagem aérea e aluguel de carros, e encontre os melhores preços para planejar sua viagem à Madrid! 

What's Your Reaction?

like
0
dislike
0
love
0
funny
0
angry
0
sad
0
wow
0